Unidade Recife – PE

Whatsapp
(81) 98265-0101

Unidade Fortaleza – CE

Whatsapp
(85) 99163-6739

Unidade Anápolis – GO

Whatsapp
(61) 99695-7807

Unidade Brasília – DF

Whatsapp
(61) 99862-7578

Efeitos da cocaína: quais os sintomas, tempo de duração e o que fazer

A cocaína é uma substância nitrogenada extraída das folhas de coca (Erythroxylon coca), uma planta comum na região andina da América do Sul. Quando utilizada, os efeitos da cocaína estimulam o sistema nervoso central, além de provocar outras reações no organismo humano.

O cultivo da planta data desde os incas, para fins medicinais. Contudo, por volta de 1900, as folhas começaram a ser processadas para finalidade recreativa. Nesse sentido, a medicina apresenta números sólidos para comprovar que a “recreação” não faz qualquer bem ao organismo.

Suas funções psicoativas, além de outros males, podem causar depressão, ansiedade e até culminar em suicídios.

De acordo com o Relatório Mundial sobre drogas de 2020, cerca de 6 milhões de brasileiros admitiram já ter consumido o entorpecente ou seus derivados, como por exemplo crack, óxi e merla. Do total de entrevistados, 442 mil são adolescentes entre 14 e 17 anos.

Boa parte desses usuários desenvolvem dependência química, necessitando de uma internação em uma clínica de recuperação para desintoxicar o organismo.

A droga pode ser encontrada em forma de pó (cloridrato de cocaína), pasta, merla e crack, possuindo alta capacidade de viciar, além de trazer riscos gravíssimos à saúde do usuário.

Nesse artigo, explicaremos sobre os efeitos da cocaína, seu tempo de duração e sintomas resultantes do uso. Confira conosco e boa leitura!

Quais são os sintomas dos efeitos da cocaína no corpo?

Assim como todas as substâncias psicotrópicas, os efeitos da cocaína no corpo são significativos e alguns deles, a curto ou longo prazo, podem ser irreversíveis. A aspiração nasal ou o consumo via pedra (como é feito por usuários da cocaína na forma de crack) afetam diretamente os neurotransmissores e a pressão sanguínea. 

Dessa forma, a sensação de euforia e animação escondem riscos gravíssimos, como queda de pressão, desmaio, surto psicótico e até mesmo uma parada cardíaca.

A cocaína, em sua composição natural, já seria capaz de tantos malefícios, mas em forma de pó ela é ainda mais prejudicial.

Com suas folhas maceradas, ela é misturada a compostos como solventes e ácido sulfúrico. Além disso, para ampliar o lucro do tráfico ilegal, são incluídos em sua composição outras substâncias como, por exemplo, talco, aspirina e até mesmo pó de giz ou gesso.

Já os efeitos da cocaína em sua forma mais letal – em pedra – também geram aceleração dos batimentos cardíacos, aumento de pressão arterial, dilatação de pupilas, suor intenso e tremores. 

Em ambos os casos, há uma falsa sensação de euforia, que termina com o efeito da droga, que pode durar no máximo 30 minutos.

A partir desse período curto, o usuário considera-se apto a usar novamente, o que acaba por se tornar um vício de forma muito rápida.

Efeitos da cocaína no corpo a longo prazo

Além de todos os malefícios citados acima, os efeitos da cocaína a longo prazo são danosos e podem prejudicar a capacidade intelectual e cognitiva do usuário, além de afetar regiões importantes do organismo, como por exemplo:

  • Surgimento de cortes no céu da boca, que prejudicam a saúde bucal e o apetite;
  • Descontrole da musculatura da mandíbula, perda dos dentes ou impulso permanente de morder;
  • Transtornos psicóticos, como esquizofrenia, podem se agravar. Mesmo em indivíduos saudáveis, é normal acontecer episódios de alucinação e delírio recorrentes;
  • Paranoia, estresse e crises fortes de ansiedade serão constantes;
  • Arritmia cardíaca, aneurisma, embolia pulmonar, trombose e outras doenças de caráter vascular ou cerebral;
  • Perda de memória, dificuldade em se concentrar e falta de capacidade analítica.

Quanto tempo duram os efeitos da cocaína?

De modo geral, o efeito estimulante e de euforia da cocaína dura em média 30 a 40 minutos. Contudo, não é possível estabelecer com propriedade o tempo de duração, uma vez que ele depende da quantidade de droga utilizada e da forma de administração.

Além disso, é preciso levar em consideração a tolerância de cada organismo em relação ao uso de entorpecentes.

Em resumo: não existe quantidade segura para o uso da cocaína, em todas suas formas.

Como cortar os efeitos da cocaína

abstinência de cocaína

A tentativa de minimizar ou cortar os efeitos da cocaína é muito comum entre familiares ou amigos de dependentes químicos da droga. Porém, é importante compreender que tal medida é apenas um paliativo, e que não há qualquer técnica, produto ou procedimento que realmente faça parar os efeitos da cocaína.

O ideal, nessa questão, é que se consiga buscar suporte especializado em uma clínica de reabilitação para tratar a dependência química, e não tentar reduzir os efeitos causados pela cocaína.

Ao buscar pela Internet, você irá encontrar respostas ou soluções mágicas para a pergunta “Como cortar os efeitos da cocaína”. Mas nenhum deles é eficaz ou irá proporcionar o verdadeiro acolhimento e cuidado que um dependente químico precisa.

Por isso, fuja de soluções simples e incentive o usuário a procurar ajuda. Caso seja você quem esteja precisando de ajuda, converse com sua família, amigos e peça apoio para começar um tratamento.

Infelizmente, não há saída simples, mas existe uma alternativa realmente eficaz e humanizada para acabar com os efeitos da cocaína: tratamento em clínica especializada.

Abstinência no uso da cocaína: quais os sintomas?

Os principais sintomas da abstinência no uso de cocaína são: irritabilidade, paranoia, ansiedade, pensamentos suicidas, perdas de memória e culminando até na tentativa de autoextermínio ou mutilação.

Um tratamento especializado, a fim de eliminar os efeitos da cocaína e acompanhar o usuário no processo de desintoxicação, é importante por vários motivos.

Mesmo em casos onde se interrompa o uso, caso não haja um acompanhamento profissional especializado, é possível acontecer eventual recaída por parte do usuário.

Por isso, para evitar esses e outros transtornos relacionados ao consumo e aos efeitos da cocaína, o auxílio médico é essencial. Aliás, há casos em que é necessária internação a fim de realizar a desintoxicação do paciente.

Nesse sentido, ter uma equipe humanizada e multidisciplinar, como acontece nas Clínicas Virtude, fará todo o diferencial no tratamento do paciente.

Caso você esteja passando por problemas com drogas ou pretende ajudar alguém nessa situação,procure ajuda!

Com unidades em Fortaleza, Recife, Brasília e Anápolis, as Clínicas Virtude valorizam a dignidade humana, respeitam a subjetividade e apostam na integralização e personalização dos tratamentos terapêuticos. Caso necessite de atendimento, entre em contato com um de nossos especialistas.